|
ovis

Nesta edição do Clipping do Observatório Internacional, mais uma vez marcada pela pandemia do coronavírus, reunimos matérias da imprensa mundial acerca dos seguintes temas: a contestação ao neoliberalismo no Chile, a prisão de militares conspiradores na Venezuela, o adiamento das eleições na Bolívia, a revelação de um escândalo de espionagem de militares na Colômbia, a libertação de Keiko Fujimori no Peru, a invasão de milícias armadas no Capitólio de Michigan, o crescimento da pobreza entre imigrantes nos EUA, a indignação do povo panamenho contra a classe política, as perspectivas para a economia global pós-pandemia, a mobilização dos trabalhadores na Catalunha, a preocupação da instrumentalização do lockdown por políticos autoritários na África, a guerra do Iêmen e os cenários que esboçam para a nova ordem geopolítica mundial pós-pandemia.

Uma excelente leitura a todos!

NOTÍCIAS E ARTIGOS DA IMPRENSA INTERNACIONAL

Chile

THE GUARDIAN (05/05): “Chile: pandemia destaca crise de saúde, enquanto bloqueio interrompe protestos contra desigualdade” (em inglês)

Agora, com partes da capital bloqueadas por coronavírus, o vento sopra através de uma Plaza Italia vazia, enquanto um punhado de compradores passa rapidamente pelas forças de segurança que impõem a ordem de permanecer em casa. Mas a pandemia atingiu o Chile em um cenário de tensões sociais não resolvidas, e os fatores que desencadearam a explosão de protestos do ano passado se refletem claramente na maneira como a crise da saúde ocorreu.

Venezuela

EL PAÍS (05/05): “Operação Gedeon: Venezuela assegura que deteve dois estadunidenses vinculados a uma operação contra Maduro” (em espanhol)

As forças de segurança da Venezuela desbarataram nesta segunda-feira a operação militar contra Nicolás Maduro realizada no domingo em La Guaira, próxima de Caracas. Com a captura dos capitães Antonio Sequea, César Pérez Sequea, Jesús Ramos e Adolfo Baduel – filho do general-em-chefe, Raúl Baduel, amigo de Chávez, hoje preso por conspiração – a morte do capitão Robert Colina, o Governo neutralizou, ao menos de momento, a chamada Operação Gedeão, um movimento militar com ramificações internacionais que planejava ingressar no país para derrubar o regime.

Postergação das eleições na Bolívia

LA JORNADA (04/05): “Carlos Mesa se soma ao MAS para pedir eleições” (em espanhol)

Ante a negativa da autoproclamada da Bolívia, Jeanine Áñez, de convocar eleições em breve, e depois do pedido do Movimiento Al Socialismo (MAS), de buscar uma saída eleitoral ao conflito político do país, novas vozes se somam a esta disputa. Desta vez se trata do ex-mandatário e candidato presidencial, Carlos Mesa, que urgiu nesta segunda-feira ao governo transitório a promover um “acordo nacional” para definir a data das próximas eleições em meio da emergência pelo Covid-19.

Equador

PAGINA 12 (04/05): “Equador, entre o coronavírus e o neoliberalismo” (em espanhol)

O coronavírus chegou ao Equador em meio de uma profunda crise econômica. O epicentro da enfermidade se deu na cidade de Guayaquil que tem a taxa de contágio mais alta da América Latina. Em meio de enormes críticas ao governo pela falta de credibilidade nas estatísticas, o mesmo presidente Lenín Moreno reconheceu que as estatísticas não eram precisas.

Espionagem militar na Colômbia

SEMANA (03/05): “Os escândalos dos ‘homens-bomba’ do Exército Nacional” (em espanhol)

Durante os últimos 10 anos existiu um grupo de 12 militares, entre oficiais e sub-oficiais, que esteve metido nos maiores escândalos que terminaram sacudindo ao Exército Nacional. Não são os únicos, mas são os encarregados de realizar estes trabalhos pouco transparentes para os superiores da vez.

Peru

DW (04/05): “Peru: libertam Keiko Fujimori depois de meses de prisão” (em espanhol)

Keiko Fujimori -filha do ex-presidente peruano Alberto Fujimori (1990-2000) e líder do movimento político fundado por seu pai – saiu nesta segunda-feira em liberdade pela segunda vez em cinco meses depois de que a Justiça revogasse novamente a medida de prisão preventiva por suposta lavagem de dinheiro depois o escândalo da construtora brasileira Odebrecht.

Economia mundial

THE GUARDIAN (05/05): “A inflação colapsa em todo o mundo em meio à pandemia do coronavírus” (em inglês)

A inflação nos países mais ricos caiu no ritmo mais rápido desde a crise financeira, já que o surto de coronavírus afunda o mundo na recessão mais profunda durante quase um século. A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE) disse que o crescimento anual no preço dos bens e serviços no grupo de 37 países avançados se desacelerou significativamente em março quando Covid-19 deteve quase por completo a atividade empresarial e social.

THE GUARDIAN (30/04): “Historiador da Peste Negra: ‘Uma depressão de coronavírus poderia ser o grande nivelador” (em inglês)

O historiador econômico austríaco Walter Scheidel sustenta que ao longo da história, desde a Idade da Pedra em diante, a pandemia é um dos quatro únicos eventos capazes de conseguir uma mair igualdade. Guerra, colapso estatal e revolução são os outro três.

Invasão do Parlamento de Michigan

NBC (01/05): “Centenas de manifestantes, alguns portando armas no Capitólio do estado, protestam contra as medidas de emergência de Michigan” (em inglês)

Centenas de pessoas protestadas no lado de fora do edifício do Capitólio de Michigan em Lansing na quinta-feira, com algumas empurrões para dentro de enquanto o Legislativo estava debatendo uma extensão do estado de emergência do governador Gretchen Whitmer em resposta à pandemia de coronavírus.

Imigrantes nos EUA

CHICAGO TRIBUNE (04/05): “‘Não sabemos como acabará’: a fome assombra depois do vírus” (em espanhol)

Os especialistas em política alimentar estimam que antes da pandemia, em torno de um em cada oito ou nove estadunidenses tinha problemas para comer. Agora se estima que até um de cada se somará às filas dos que passam fome, disse Giridhar Mallya, responsável de política na Fundação Robert Wood Johnson para a saúde pública.

Protesto no Panamá

LA VANGUARDIA (03/05): “O que é o protesto do zambapalo?“, por Carmen Carrasco (em espanhol)

A Covid-19 desenlaçou um conflito entre os usuários das redes sociais e o Governo do Panamá, na qual acusam de suposta “corrupção” em seu atuar público a funcionários de primeira linha do presidente, Laurentino Cortizo, aproveitando a situação de emergência do país como consequência. (…) Entretanto, a população “mais desgarrada” clama por pão. Assim se inicia este zambapalo (briga), a recomendação de um renomado apresentador televisivo dirigida a sua audiência ao pretender que, durante a quarentena, realizem um jejum.

Greve na Catalunha

EL PERIODICO (04/05): “Os trabalhadores da Nissan iniciam uma greve indefinida para paralisar a planta da Zona Franca” (em espanhol)

Os sindicatos convocaram a paralisação ante a falta de informação por parte da Nissan em referência ao futuro industrial das fábricas espanholas. A planta Montcada i Reixach foi a primeira em parar por completo a fábrica da Zona Franca ante a falta de subsídios.

África

THE GUARDIAN (01/05): “A vigilância policial rígida da quarentena não pode se tornar a nova normalidade na África” (em inglês)

A resposta do coronavírus na África do Sul é um retrocesso assustador ao apartheid. O controle estatal necessita ser monitorado cuidadosamente em todo o continente.

Guerra no Iêmen

PUBLICO.ES (05/05): “Os separatistas do sul abrem um novo capítulo da Guerra do Iêmen” (em espanhol)

Como se o Iêmen tivesse poucos problemas, há uma semana os separatistas do sul proclamaram na cidade de Aden seu autogoverno, uma decisão que foi criticada na Europa e nos Estados Unido, mas que ao mesmo tempo conta com o apoio dos Emirados Árabes Unidos, factotum da Europa e dos Estados Unidos no Oriente Médio. Com o anúncio se cria um novo problema de consequências imprevisíveis num país pobre e esgotado por guerras e epidemias.

Nova ordem geopolítica

BBC MUNDO (05/05): “Os dois grandes cenários mundiais que colocam alguns especialistas para depois da pandemia” (em espanhol)

O coronavírus é o maior desafio para o mundo desde a Segunda Guerra Mundial, segundo as Nações Unidas. E as medidas para combater isso trarão a pior recessão econômica desde a Grande Depressão, antecipou o Fundo Monetário Internacional. Neste contexto, distintos especialistas começaram se questionar se o cenário mundial que resultará de tudo isso será mais reminiscente à era posterior à Primeira ou Segunda Guerra Mundial.

Veja também