|
paraguay-marcha-campesinos

Via Resumen Latinamericano

A Coordenadora Nacional Camponesa do Paraguai anunciou hoje a chegada de grupos de várias províncias para juntar-se a novos protestos para exigir um orçamento de 25 milhões de dólares em assistência à produção.
Outros grupos dos departamentos de Paraguarí, Misiones e Caaguazú se juntarão às mobilizações, chamados a exigir esses fundos e o cumprimento de outros acordos pendentes entre os agricultores e o governo.

O principal alvo de críticas e motivo de protesto, segundo os organizadores, é o Ministro da Agricultura e Pecuária, Santiago Moisés Bertoni, a quem os agricultores estão exigindo a entrega da soma acima mencionada.

Um acordo entre os agricultores e o governo torna este ministério responsável pela gestão do orçamento milionário para o desenvolvimento agrícola, mas seus diretores justificam o não pagamento com a suposta falta de documentos essenciais para o processo.

Líderes dos manifestantes, como Jorge Galeano, revelaram que nesta terça-feira estenderão as manifestações ao Congresso, à Procuradoria Geral e aos ministérios de Obras Públicas e Comunicações, Urbanismo, Habitação e Habitat.

“Para nós, Bertoni não tem nada a ver com o fato de estar nessa posição. Ele não nos deu um único guarani e durante os oito meses em que teve o dinheiro, a lei e os acordos em seu poder, o que fez foi uma campanha suja contra nossos líderes”, explicou Galeano.

Segundo o líder agrário, os assessores do Presidente Mario Abdo Benítez “têm um caderno onde anotam os nomes dos deputados e senadores que terão acesso aos fundos oficialmente destinados à produção camponesa”.

Galeano disse que nesta terça-feira os organizadores explicarão detalhes dos fechamentos de estradas, marchas e outras mobilizações como parte do protesto.

Os agricultores continuaram seus bloqueios das principais ruas ontem à noite, reunidos em frente à sede do Ministério da Agricultura e Pecuária, e anunciaram que fariam visitas ao centro da capital durante o dia.

Veja também