|
TXCTGO2RBZDRDPVGMM7SX7ENOE

Não é um domingo qualquer, hoje é um domingo histórico, o povo peruano não está determinado apenas a derrotar a máfia autoritária e parasitária, a abrir um novo tempo e escrever uma nova história de profundas mudanças e transformações que o Peru e os peruanos exigem. Este é o sentido do voto no Prof. Pedro Castillo, e estamos em condições de defendê-lo nas ruas contra qualquer manobra fraudulenta.

Estamos entrando na fase final de divulgação dos resultados finais e há uma vantagem favorável para o “professor”, uma vantagem que vai aumentando gradativamente e tudo indica que estamos próximos de uma vitória popular. Não tem sido fácil; a direita e Fujimori mostraram a sua verdadeira cara, realizando uma campanha de confusão da população, nefastas manobras a serviço dos interesses da máfia e dos grupos de poder, para que nada mude e continue o cancro da corrupção. Continua o modelo definitivamente esgotado, que continua de pé a constituição de Fujimori que legaliza a prestação, o abuso e a mercantilização da saúde e da educação, entre outras coisas.

Esta situação tem de parar e mudar, com este novo governo do povo, tem que acabar com todas estas más gestões, chegará a hora de se estabelecerem novas regras do jogo, desta vez a favor da grande maioria.

Por isso é importante que no futuro governo do “Profe” as propostas sejam cumpridas e a primeira seja um referendo para uma Assembleia Constituinte democrática, popular e participativa para promover as mudanças que foram discutidas na campanha. Mas não será fácil, a direita continuará a colocar morcegos na roda, por isso, mais do que nunca, os milhões de peruanos que estavam acompanhando o “professor”, devemos nos manter organizados e mobilizados até mesmo para defender esta conquista popular.

Por enquanto, devemos ir às ruas expressar nosso entusiasmo por esta vitória e ao mesmo tempo estar em alerta e mobilização para impedir qualquer manobra fraudulenta que Fujimori esteja tramando, não permitamos que nada manche esta vitória limpa que vem de sob.

Sim, se pode!

Veja também